O que é Uptime da hospedagem e como monitorá-lo

uptime do servidor hospedagem de site

Com o aumento da quantidade de aplicações web existentes, cresceu também a interdependência entre os serviços. Tudo está conectado, e é crucial que os servidores estejam disponíveis o maior período de tempo possível e para isso é preciso conhecer mais sobre o uptime da hospedagem.

Quem tem um site ou está pensando em ter um, logo se familiariza com o termo garantia de uptime. Neste artigo, vamos aprender o que é uptime do servidor e como pode influenciar nos resultados do seu site.

Todos que buscam uma melhor hospedagem preocupam-se com o uptime da sua aplicação. De nada adianta contratar um serviço com diversos recursos se ele fica fora do ar, não é mesmo? Primeiramente, vamos entender melhor o que esse termo significa.

O que é Uptime?

O termo uptime se refere ao tempo de atividade ininterrupta de um dispositivo, como servidor, computador e etc. Ou seja, é o tempo em que o serviço está disponível para acesso online. Quando falamos de hospedagem de sites, o uptime se refere à disponibilidade do servidor, e não necessariamente quanto tempo o site fica no ar.

Existem inúmeros fatores que podem fazer um site sair do ar: sobrecarga de consultas no Banco de Dados, erros de programação como loops infinitos ou bad requests, problemas em serviços dos quais a aplicação depende, etc. Veja que esses problemas não estão necessariamente ligados ao Uptime do servidor.

Por exemplo, o seu site pode estar fora do ar por algum problema de configuração no código, enquanto o servidor da hospedagem é acessado normalmente. Neste caso, não há nenhum problema no Uptime da hospedagem de site. O servidor está fazendo a parte dele, falta apenas consertar erros de programação (que foi causado por você).

Qualquer problema ocasionado pelo cliente é descontado do cálculo de tempo de uptime do servidor de hospedagem. Sendo assim, o uptime diz respeito ao tempo em que o servidor da hospedagem permanece disponível para visitantes.

Diferença entre uptime e downtime

Um termo que aparece com frequência é o downtime, principalmente nos contratos de serviços de hospedagem. Downtime quer dizer exatamente o oposto de uptime, ou seja, downtime é quando o servidor “cai” (fica fora do ar ou indisponível por problemas que não sejam causados pelo cliente).

Portanto, podemos afirmar que downtime é o tempo de indisponibilidade de um servidor. Quando ele se encontra offline ou indisponível para utilização começa a contar o tempo de downtime.

Qual o tempo mínimo de uptime oferecido pela hospedagem?

O uptime é geralmente calculado como uma média mensal e representado em porcentagem. Por exemplo, as melhores hospedagem oferecem uptime mensal mínimo de 99,5%. Isso quer dizer que, nas 720 horas do mês, o servidor deve estar disponível por no mínimo 716 horas. Assim, se seu site estiver corretamente programado, ele ficará todo esse tempo no ar.

O uptime mínimo da hospedagem é estabelecido em contrato por uma cláusula chamada SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível de Serviço). Esse é o uptime mínimo que o provedor se compromete a oferecer ao cliente.

Isso não quer dizer que o servidor não terá downtime (inverso de uptime), mas que, caso ocorra, o cliente será recompensado. Essa é uma forma de “penalidade” à empresa por ter descumprido o contrato. Geralmente, a recompensa vem em forma de desconto. A Locaweb, por exemplo, oferece descontos de 5% a 30% nas faturas de clientes que não receberam o Uptime prometido.

Como monitorar o Uptime

Mas como saber se a hospedagem está cumprindo o prometido? Para isso, é necessário utilizar uma ferramenta de monitoramento do Uptime do servidor. O indicado é utilizar ferramentas externas, e não as oferecidas pela hospedagem, para ter uma leitura independente. Existem muitas opções do tipo na internet, algumas delas são:

A maioria desses softwares tem a opção de avisar o usuário assim que um downtime for detectado. Essa é a melhor forma de tomar uma atitude de maneira ágil e evitar maiores prejuízos.

Para usuários do WordPress, o popular plugin JetPack tem uma interessante função de monitoramento da página, inclusive na versão gratuita. O plugin gera relatórios com as estatísticas do site, e tem a opção de notificar o usuário por e-mail informando sobre o monitoramento de uptime.

Se você perceber que o uptime prometido não está sendo entregue, entre em contato com a empresa para acionar o SLA. Algumas vezes as quedas são problemas que a empresa de hospedagem precisa investigar e corrigir. Por esse motivo, é muito importante sempre comunicar as ocorrências de quedas a empresa para que ela possa tomar providências.

Por que o Uptime é importante para o seu site

Imagine ter um e-commerce e ele ficar fora do ar bem na época em que você colocou produtos novos. Os clientes não irão conseguir acessar e você perdera muitas vendas. Nesse momento, todos aqueles outros benefícios que sua hospedagem oferece não irão valer de nada. Podemos dizer que, de certa forma, o uptme é a principal característica de uma melhor hospedagem.

A boa notícia é que as melhores hospedagens estão com taxas de uptime muito boas no mercado atual. As principais empresas do seguimento no Brasil oferecem um SLA de 99,5% nas opções compartilhadas. Nos Estados Unidos, algumas empresas entregam até 99,9% de Uptime.

Mas aqui vai uma dica muito valiosa: antes de contratar uma hospedagem, acompanhe canais com opiniões de clientes e especialistas, como o Reclame Aqui e também o nosso Blog. Essa medida é crucial para ver o nível de serviço da empresa e se eles realmente entregam o uptime que prometem.

Um baixo uptime reduz o SEO do seu site. O Google leva o tempo de resposta e a disponibilidade do site em consideração ao montar o ranking de resultados de buscas. Além disso, o downtime do seu site pode fazer com que visitantes não consigam acessar a página, o que irá prejudicar a avaliação do site e até prejudicar sua reputação.

Isso também prejudica a experiência do usuário, que deixará de compartilhar e recomendar a página, atraindo menos visitantes. Para lojas virtuais, o baixo uptime pode afetar muito mais a credibilidade do negócio.

Redundância

Uma pergunta surge: como é possível um servidor ter 100% de uptime? Isso quer dizer que nunca existe falha? A máquina nunca desliga? Nenhuma dessas coisas. Uptime de quase 100% são alcançados graça a uma técnica chamada redundância.

Redundância significa que, caso um serviço falhe, outro está pronto para assumir o seu lugar para que ele não fique indisponível. Em uma hospedagem Cloud Computing, podem existir 2 servidores redundantes. Se um deles falhar ou for desligado, o outro continua online e o problema não é percebido.

Outras formas das empresas garantirem redundância é através de sistemas Nobreak ou RAID: um conjunto de HD’s redundantes que aumenta a disponibilidade do servidor. Assim, podemos ver que a disponibilidade pode ser otimizada tanto via software como via hardware.

Em suma, hospedagens com alta redundância oferecem alta disponibilidade, ou seja, maior Uptime.

Downtime Parcial

O uptime da hospedagem pode não ser absoluto. Isso acontece quando alguns recursos estão funcionando e outros estão indisponíveis. Geralmente, a causa dos downtimes parciais está em problemas relacionados a algum serviço específico.

Por exemplo, seu site pode funcionar normalmente, enquanto o FTP está fora do ar, impedindo que você faça uploads de arquivos. É possível ter downtime somente no banco de dados, impossibilitando sua aplicação de gravar ou fazer leituras.

As hospedagens Cloud e Compartilhadas geralmente colocam serviços em servidores físicos diferentes. Assim, às vezes o servidor de banco de dados pode estar indisponível, enquanto o de arquivos do site está operando normalmente.

Principais causas de downtime

Existem diversos fatores que podem causar downtime em um servidor da empresa de hospedagem de sites. Entre eles, os mais comuns são:

  • Falhas de Hardware do servidor físico;
  • Falhas de software (Apache, MySQL, Sistema Operacional);
  • Falta de energia elétrica;
  • Problemas com o provedor de internet, como rompimentos de fibra ótica;
  • Ataques DDoS;
  • Manutenções programadas em que o servidor precisa ser desligado;
  • Atualização de softwares ou configurações de segurança;
  • Sobrecarga de requisições ou de utilização de recursos.

Aplicações que dependem de um maior Uptime

Para quem tem um pequeno site ou blog, um uptime de 99,5% ao mês é mais do que satisfatório. Entretanto, existem alguns sistemas críticos que demandam um uptime de virtualmente 100%. Tratam-se de aplicações em que ficar fora do ar, mesmo por um curto período de tempo, pode trazer danos graves ou até mesmo irreparáveis. Alguns exemplos são:

  • Grandes e-commerces;
  • Sistemas hospitalares;
  • Sistemas bancários;
  • Aplicações financeiras e de bolsas de valores.

Conclusão

O uptime é uma das principais características das melhores hospedagens de site, e acreditamos que você compreendeu mais sua importância ao ler este artigo. Garantir a disponibilidade do seu site é essencial, não importa qual seja o ramo do seu negócio e seus objetivos.

Avalie bem as empresas e as opiniões dos usuários, bem como o tempo de resposta dos sites hospedados por elas. Monitorar o Uptime entregue pelos provedores é uma das melhores formas de escolher um bom serviço.

De nada adianta economizar com uma hospedagem muito barata e ter seu site fora do ar quando você mais precisa, não é mesmo?

Observe também como é o suporte técnico da empresa e seu atendimento aos clientes. Pior do que ter o servidor fora do ar é não ter o problema resolvido de maneira ágil. A maioria dos clientes perdoa um pequeno downtime, desde que a equipe de suporte mostre interesse e capacidade de entregar uma solução.

Fique de olho em nosso blog para conhecer as melhores hospedagens com os melhores uptimes! 😊