Site “não seguro” no Chrome: Saiba como evitar

Site “não seguro” no Chrome

Antes de mais nada, a mensagem de site “não seguro” no Chrome provavelmente já apareceu para você, não é? Você sabe o que ela significa? Caso não saiba, leia esse artigo até o final e entenda tudo sobre essa frase.

A princípio, este site pode até ser conhecido e você talvez até já o tenha acessado antes. Pode ser um blog de notícias, uma loja virtual ou até mesmo um portal que você gosta de visitar.

Entretanto, em algum momento essa mensagem surgiu e você ficou receoso em acessar o site.

Dessa forma, a indicação de site “não seguro” no Chrome tende a afastar os visitantes, por causa da desconfiança que ela causa. E isso também atrapalha na otimização do site em motores de busca.

Assim, com ênfase em Marketing Digital saiba que se o seu site está como “não seguro” isso pode afetar toda a estratégia de ranqueamento do Google.

Quer saber como evitar que isso aconteça? Então, leia esse artigo até o final!

Como surgiu essa mensagem de site “não seguro” no Chrome?

A mensagem de site “não seguro” no Chrome não indica problemas de velocidade ou vírus.

Na realidade, se trata de uma atualização do navegador Chrome, que aliás, é um dos mais utilizados no planeta atualmente.

Assim sendo, essa ação realizada no navegador foi com o intuito de inibir a ação de hackers. Bem como, visa também garantir uma melhor experiência do indivíduo ao utilizar o Chrome.

Porém, aos mais desatentos, passa desapercebido se um site é seguro ou não. Afinal, aparece na barra de endereços um cadeado que indica se um site é seguro ou não.

Ninguém quer preencher dados pessoais, muito menos dados bancários em qualquer lugar, não é mesmo? Daí a importância em saber se um site é seguro ou não.

Como resultado, o Chrome oferece essa atualização com vistas a alertar as pessoas que estão acessando determinados sites. Logo, o usuário tem a opção de escolher se deseja ou não permanecer naquela navegação.

Entenda tudo: afinal, o que é HTTPS?

HTTPS é um atributo que indica a segurança de um hipertexto.

À primeira vista pode parecer complicado, mas vamos te explicar tudo em detalhes.

O HTTP se trata de um hipertexto comum, correto? Logo, o HTTPS (HTTP + S) indica que o hipertexto está acrescido de um item extra de segurança. Explicando fica fácil, viu só?

Nesse sentido, ao navegar pela rede você pode observar que muitos portais e sites já estão utilizando essa modalidade de protocolo.

O HTTPS visa proteger a integridade, confidencialidade e sigilo de dados do visitante do site. Com vistas a isso, utiliza criptografia para proteger os dados trocados entre o site e o computador do usuário.

Como resultado, essas medidas de prevenção e discrição, diminuem os riscos de interceptação de dados.

Afinal, um ambiente virtual precisa ser seguro para os visitantes poderem fazer suas pesquisas, tarefas e compras de maneira protegidas.

Meu site precisa migrar para HTTPS?

Diferentemente do que muitos acreditam, é importante sim que o seu site seja HTTPS. Pois, qualquer site pode possuir este tipo de item de segurança.

Afinal, a mensagem de site “não seguro” no Chrome pode inibir visitantes e estragar a sua estratégia de SEO.

Vamos entender melhor como além do fator proteção, o uso de HTTPS pode interferir em outras áreas do site, continue conosco!

Onde vejo se um site tem HTTPS?

Nesse ínterim, saiba que há duas formas de saber se um site tem HTTPS e são elas:

  • Observe a barra de navegação aberta no computador. Se ela possuir no início https:// isso significa que aquele site é protegido;
  • Ademais, além dessa inscrição inicial, muitos sites apresentam ao lado do endereço um cadeado verde;

Viu como basta uma pequena observação para não cair em ambientes desprotegidos?

Minha empresa não tem HTTPS. E agora?

Antes de mais nada, é preciso salientar que um site “não seguro” no Chrome pode prejudicar muito a sua imagem.

Dessa forma, com o intuito de não perder potenciais consumidores nem visitantes, observe alguns atributos para o seu site:

Atualizações em dia

Observe sempre como estão as atualizações do seu site. Certifique-se se tudo está rodando da melhor forma.

Tenha um ambiente virtual sempre atualizado e confira constantemente se há coisas a serem feitas. Invista em melhorias que sua página, hospedagem e servidor podem precisar.

Site “não seguro” no Chrome? Atualize já!

SEO é fundamental

Anteriormente, comentamos sobre como a mensagem de site “não seguro” no Chrome interfere em SEO, lembra-se?

Pois é, de nada adianta investir em bons conteúdos, excelentes imagens e técnicas de SEO se você não possuir um ambiente adequado.

Afinal, em um espaço virtual seguro e com as práticas corretas de SEO, você conseguirá estar bem posicionado nos motores de busca.

Certificado SSL

Em caso de seu site ser indicado como um site “não seguro” no Chrome, é recomendado que você adquira o certificado digital de segurança SSL.

Ao possuir essa certificação, você poderá incluir o código se segurança na sua plataforma.

O que foi atualização do Google Chrome?

Segundo pesquisas realizadas no Brasil e no mundo, o motor de busca mais utilizado no mundo é o Google.

Ao mesmo tempo em que apenas no Brasil, cerca de 75% das pessoas fazem suas pesquisas nele. Muita gente, não é mesmo?

Assim sendo, o Google decidiu, desde meados de 2017 investir em atualizações de segurança. Essa medida visava (e visa) garantir um ambiente virtual confiável e seguro.

Logo, após a primeira atualização os sites buscaram possuir a HTTPS, afinal, era informado ao usuário se o site era seguro ou não.

Passo-a-passo: como migrar meu site para HTTPS?

Vamos entender um pouco mais sobre este assunto? Afinal, se você já possui um site e ainda não é HTTPS saiba que está perdendo visitantes e credibilidade.

Entenda como mudar isso agora:

Compre um Certificado SSL

Você pode adquirir um certificado SSL diretamente com a sua empresa de hospedagem.

Contudo, caso prefira, pode comprar em alguma outra fornecedora. Isso fica a seu critério.

Da mesma forma, existem certificados distintos e você pode escolher qual certificado pode atender melhor às suas demandas e necessidades.

De antemão, saiba que em casos de cursos EAD e para plataformas e-commerces, temos uma sugestão. Nestes casos, o ideal é comprar certificados que possuem a Validação de Organização – fully authenticated.

Site “não seguro” no Chrome? Compre o certificado SSL

Verifique a compatibilidade do site + recursos

Uma das dicas fundamentais para a migração de HTTP para HTTPS é esta.

Afinal, é de suma importância que depois da migração, o seu site continue funcionando, não é mesmo?

Dessa forma, antes de fazer a migração certifique-se se os seguintes itens continuarão a funcionar:

  • Google AdSense;
  • Vídeos postados;
  • Selos de certificação;
  • Redes Sociais;
  • Scripts do JavaScrip;
  • Dentre outras ferramentas;

Resumindo: confira se todas essas funções, bem como outras ferramentas irão operar da forma correta.

Tenha organização

Antecipadamente, isso é importante para tudo na vida, correto? Entretanto, para migrar o seu site “não seguro” no Chrome para um site HTTPS, a organização é fundamental.

Se o seu site possuir poucas URLs ou seja, se for um site pequeno, você poderá realizar a migração de uma só vez.

Contudo, caso o seu site seja grande (possui muitas URLs), será necessário realizar a migração por partes.

Assim sendo, você pode começar esta tarefa a partir das partes mais importantes da sua página.

Vale ressaltar que é possível habilitar o HTTPS sem desabilitar o HTTP. Porém, com vistas a evitar duplicidade de conteúdo, lembre-se de utilizar as Canonical Tags.

Existem dois pontos cruciais para a organização da migração. São eles:

  • Período da migração: observe qual a época de baixa de acessos e realize a migração nesta data. Isso deve ser feito com o intuito de você não perder visitantes ou mesmo clientes.

Por exemplo, lojas virtuais não devem fazer a migração de site “não seguro” no Chrome para um site HTTPS em períodos de promoções ou Natal.

Já as corporações e empresas, podem fazer essa troca em períodos como férias e finais de semana. Viu como é importante se organizar?

  • Perda de métricas: esse ponto é bem importante. Ao realizar a migração você perderá dados referentes às redes sociais, como a quantidade de likes e engajamento gerado.

Isso não significa o fim do mundo, mas é bom você ter ciência dessa informação para evitar aborrecimentos.

Em síntese, vale lembrar que você e sua equipe, caso você possua colaboradores, devem estar alinhados neste propósito.

Afinal, mudanças sempre trazem receio ou mesmo imprevistos. Porém, entenda que possui uma HTTPS traz inúmeros benefícios.

Habilite o HTTPS

Após realizar a migração de HTTP para HTTPS e acabar com a inconveniente mensagem site “não seguro” no Chrome, chega a hora de habilitar o protocolo HTTPS.

Vamos entender melhor como isso funciona?

Inicialmente, confira se todos os certificados SSL estão rodando e instalados da maneira certa. Mas você sabe como testar isso?

Faça o seguinte: deixe o HTTP e o HTTPS funcionando, por cerca de dez minutos, para avaliar se tudo está funcionando corretamente.

Em caso positivo, a migração pode ser concluída com êxito.

site “não seguro” no chrome faça a migração
Site “não seguro” no Chrome: faça a migração já!

Atualize os recursos para HTTPS

Parabéns! Após o passo-a-passo anterior, o seu site já está rodando em HTTPS.

Entretanto, ainda há tarefas a executar!

Atualize os recursos externos e links externos. Isso deve ser feito para que seu site fique mais otimizado e assim, ranqueie melhor nos motores de busca.

Este tipo de atualização significa menos fatores para queda de SEO e ajuda o seu site a ser encontrado mais facilmente no Google, por exemplo.

Ademais, tire um tempo para verificar também como estão os links internos e atualize-os. Essa atitude é simples, mas pode significar melhor performance nos carregamentos da sua página.

Depois de realizar essas atualizações tanto de links e recursos externos/internos, aproveite para testar a certificação no servidor.

Em suma: as atualizações e testes irão te ajudar a realizar ajustes, se necessário.

Adicione a nova versão de site no Google Search Console

Ao ler essa dica, quem está iniciando agora na criação de sites se assusta, mas calma, porque o conceito é simples.

Provavelmente, você já sabe que o Google Search Console entende que HTTP e HTTPS são duas coisas diferentes. Ou seja: ele exige a verificação de propriedade dos dois.

Dessa forma, é essencial que você realize essa verificação após migrar de site “não seguro” no Chrome para um site seguro.

Contudo, para fazer isso, basta seguir as orientações sugeridas na própria plataforma do Google.

Redirecione tudo do HTTP para o HTTPS

Todos os conteúdos inseridos anteriormente no HTTP devem ser mapeados para HTTPS.

Assim sendo, mapeie as URLs quer eram do protocolo HTTP e redirecione para o protocolo HTTPS.

Ademais, as páginas mais acessadas do seu site devem ser as primeiras a serem redirecionadas, combinado?

Hoje vimos a importância de migrar de um site “não seguro” no Chrome para um site seguro e em como isso impacta positivamente a imagem da sua empresa no ambiente virtual.

Lembre-se que em nosso blog sempre oferecemos conteúdos como este, para que você se destaque na internet e alcance o topo com o seu negócio, continue nos acompanhando!

*Condições no site